Recurso do Facebook, Instant Articles chega ao Brasil

O Facebook está lançando o Instant Articles para usuários da rede social no Brasil. O novo recurso, que funciona somente em dispositivos móveis, chega para smartphones e tablets com iOS.

Até agora, o Facebook havia priorizado o sistema da Apple. A chegada do Instant Articles à América Latina marca um novo momento. Com um mercado predominantemente ocupado pelo Android, começa também o lançamento do recurso para o sistema do Google. Aos poucos, usuários com Android passarão a poder usar o Instant Articles no Brasil e em outros países. Os primeiros testes haviam sido feitos na Índia.

No lançamento, o Facebook está disponibilizando o recurso para sites brasileiros. Vale dizer que EXAME.com faz parte. A partir de hoje, algumas matérias produzidas por nós serão colocadas em nossa linha do tempo no formato dos Instant Articles. As que assim estiverem, terão um desenho de um raio no canto superior direito da imagem na nossa linha do tempo no Facebook. Outros websites da Editora Abril (que publica EXAME) também estão adotando o recurso, entre eles estão VEJA e Capricho.

Para refrescar sua memória, o Instant Articles é a tentativa do Facebook de fazer a navegação na web mais fluida e agradável. Na opinião da empresa, as páginas levam muito tempo para carregar em dispositivos móveis—o que frustra internautas. Velocidade não chega em detrimento de conteúdo. “Podem ser adicionados vídeos, fotos, mapas, infográficos criados com HTML, entre outros”, disse a EXAME.com Mike Matas, designer do projeto, no lançamento global da ferramenta, em maio deste ano.

O conteúdo é aberto com um navegador dentro do próprio Facebook—não há troca de app, como poderia acontecer tradicionalmente. O objetivo é que a página leve poucos segundos para carregar. Em testes simples, é possível perceber essa velocidade.

Métricas

O Instant Articles gera métricas de medição para os websites que usarem o recurso na linha do tempo do Facebook. Tanto Google Analytics, quanto ComScore estão trabalhando com o Instant Articles.

Outro ponto fundamental para sites são os anúncios. Desde o lançamento, o Facebook tem usado o mesmo formato. Caso a publicidade tenha sido vendida pela equipe do site, o produtor do conteúdo fica com 100% da verba.

Caso a publicidade seja vendida por uma equipe do Facebook, há uma divisão. O produtor do conteúdo fica com 70% e o Facebook com 30%.

Fonte: http://exame.abril.com.br/